Dragagem dos portos: qual a vantagem competitiva para os portos que realizaram recentemente?

dragagem dos portos
6 minutos para ler

Quando falamos em competitividade para terminais portuários, nosso primeiro instinto é sempre pensar em infraestrutura: espaço físico, novos equipamentos, automação etc. Mas um fator igualmente importante nesse sentido é a dragagem dos portos.

Para isso, chamamos Fábio Saraiva, Gerente de Operações do Sul na Wilson Sons e um dos responsáveis pela dragagem de Itajaí, para detalhar como é feito esse procedimento e por que ele é tão importante. Boa leitura!

O que é a dragagem dos portos?

O leito do mar perto da costa assim como o leito de rios em sua foz e baías são solos em constante mudança. A movimentação da correnteza, o encontro com a margem e a atuação de outros fatores climáticos fazem com que sedimentos sejam carregados e se acomodem aos poucos.

A dragagem é o ato de remoção desses sedimentos com máquinas e procedimentos apropriados, seja para aprofundamento ou manutenção da profundidade ao longo do tempo.

Como ela é feita?

Fábio explica que no Brasil o serviço de dragagem é de responsabilidade da Autoridade Portuária de cada região. É um departamento subordinado a órgãos públicos que, por sua vez, são responsáveis por analisar e conceder permissão para dragar uma área.

Uma questão talvez mais importante nesse sentido não é a dragagem dos portos em si, mas a destinação dos sedimentos retirados do leito. Há um esforço internacional de pesquisa para técnicas novas de despejo e tratamento para o reaproveitamento deste material.

Portanto, a NORMAM-11 estabelece exigências rígidas de controle, como:

  • informações sobre área a ser dragada;
  • volume estimado de material recolhido;
  • duração da operação;
  • alteração prevista de profundidade;
  • tipo de equipamento a ser utilizado;
  • sinalização náutica a ser empregada durante o processo, entre outras.

Mesmo sendo muitos pré-requisitos a serem cumpridos, as empresas brasileiras não têm dificuldades em fazer esse planejamento. O maior gargalo está exatamente na participação do poder público.

“Infelizmente, leva muito tempo para conseguir a aprovação e a liberação de recursos, consequentemente a situação dos portos brasileiros poderia se mostrar mais avançada,” afirma o Gerente de Operações da Wilson Sons.

Portanto, o desenvolvimento de novas técnicas aliadas à modernização da gestão governamental podem ser grandes trunfos para simplificar e agilizar essas intervenções no futuro.

Por que fazer a dragagem?

Para um porto, a dragagem de manutenção é a mais comum e feita com alguma frequência ao longo dos anos. Veja os motivos principais nos quais o procedimento se mostra mais necessário.

Assoreamento progressivo

É natural que as próprias correntes marítimas tragam mais sedimentos ao longo do tempo para uma área costeira, o chamado assoreamento. A dragagem nesse caso é necessária para impedir que essa movimentação diminua a profundidade do calado.

Aumento do porte de navios compatíveis com o porto

Aumentando a profundidade da área próxima a um porto, o terminal se torna apto a receber navios maiores e com mais capacidade de carga. Isso abre novas possibilidades de negócio e novas oportunidades de afretamento — charter.

Powered by Rock Convert

Crescimento da movimentação de cargas

Com novas rotas e embarcações maiores, o volume de carga que passa por um porto pode aumentar consideravelmente por meio da dragagem.

Afinal, o procedimento pode ser utilizado não só para aprofundar como para ampliar a área ao redor do porto com um calado mínimo, dando mais espaço para movimentação e manobra das embarcações.

Manutenção da segurança

A dragagem de manutenção garante um leito livre de possíveis obstáculos que coloquem os navios em risco. Fábio aponta essa relação: “fazendo uma pequena analogia, um porto com uma boa dragagem se compara com uma estrada com boa pavimentação, trazendo segurança para quem o frequenta.”

Como a dragagem se transforma em vantagem competitiva para os portos?

Acima listamos os motivos técnicos para se realizar a dragagem ao redor do terminal portuário, mas existem também vantagens de mercado nesse procedimento. Veja o que um porto ganha por investir.

Ampliação da capacidade de atuação

Como já foi citado, um terminal que investe no aumento do calado e na expansão de sua área navegável consegue movimentar mais cargas e ganhar em variedade de produtos manejados.

Com esse aumento nas operações, é possível investir em novas tecnologias, ampliação de infraestrutura e capacitação dos profissionais. É um ciclo virtuoso de desenvolvimento e crescimento para o porto.

Busca de novos mercados

Uma questão interessante de se notar é que a própria divulgação de relatórios de batimetria se tornam propaganda para o porto no mundo inteiro — consequentemente um atrativo competitivo para novos clientes internacionais.

Fábio explica:”o exercício de medição do calado atual dos canais de acesso ao porto e dos seus respectivos berços de atracação é fator de confiabilidade concedido a um Porto e a sua Autoridade.

Um porto que investe em dragagem e, consequentemente, na divulgação de sua batimetria, mostra-se a frente dos demais, angariando novos armadores (ship owners) bem como fomentando toda a cadeia logística envolvida no Comércio Exterior.”

Construção de uma imagem moderna

Com a dificuldade de muitos portos em se adequar às novas expectativas internacionais, os procedimentos de dragagem podem mandar um sinal importante de modernidade e investimento no desenvolvimento do setor.

“A modernização dos portos é preocupação de toda comunidade marítima há muitos anos,” afirma nosso convidado. “Canais de acesso confiáveis e berços de atracação seguros geram maior eficiência, aumentam competitividade e o mais importante: reduzem custos. É uma moeda de troca.”

Fábio dá o exemplo dos grãos como uma oportunidade de aprofundar ainda mais essa relação e aumentar o faturamento de todo o setor brasileiro: “nosso país é um dos maiores, senão o maior exportador do mundo, tendo a Ásia como seu maior cliente. Portanto, quanto mais avançados em eficiência e tecnologia forem nossos portos, mais estaremos aumentando nossos recursos e, obviamente, trazendo mais divisas para o Brasil.”

Essa é a corrida mais importante para o setor de transporte marítimo atualmente: a busca por modernização e capacidade de atender o mundo inteiro em nossos terminais. A dragagem de portos é um fator muito importante nessa equação.

Quer conhecer mais sobre os complexos portuários brasileiros e entender como eles estão se desenvolvendo nos últimos anos? É só baixar nosso e-book especial sobre o assunto!

afretamento marítimoPowered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe um comentário